Notícias

Quinta-feira, 13 de junho

Boa noite! Aqui estão as principais notícias para você terminar o dia bem informado

Reajuste no preço do pedágio da MG-050 começa a valer nesta quinta-feira

A rodovia que liga o Sul de Minas ao Centro-Oeste do estado tem seis praças de pedágio. O aumento ficou em torno de 5%. Confira a tabela de preços:

Fonte: AB Nascentes das Gerais

Os postos de pedágio estão em trechos de São Sebastião do Paraíso, Passos, Capitólio, Formiga, São Sebastião do Oeste e Itaúna.

Mortes por dengue chegam a quase 300 no Brasil, o triplo do mesmo período de 2018

De acordo com o boletim do Ministério da Saúde, casos prováveis da doença totalizam 965,04 mil até 27 de maio e são mais numerosos nos estados de São Paulo e Minas Gerais. De acordo com o Ministério da Saúde, juntos somam 68,3% dos casos prováveis da doença no país.

De acordo com o boletim da semana epidemiológica 21, o estado de São Paulo teve mais de 320 mil casos prováveis de dengue até o fim de maio de 2019 – enquanto neste momento do ano passado eram pouco menos de 9 mil.

➡️ Receba as notícias através do grupo oficial do Portal Jacuí no seu WhatsApp. Não se preocupe, somente nossos administradores conseguirão fazer publicações, evitando assim conteúdos impróprios e inadequados. 👉 Clique aqui.

Minas Gerais registrou mais de 322 mil casos no mesmo período deste ano, ante 20,2 mil até o fim de maio de 2018.

Petrobras reduz preço do diesel e acaba com periodicidade para reajustes

A Petrobras anunciou uma redução de 4,6% no preço médio do diesel em suas refinarias, para R$ 2,06 por litro, a partir desta quinta-feira, e simultaneamente informou uma revisão em suas regras sobre periodicidade das mudanças de preços.

A redução no preço do diesel ocorre em meio a uma queda nos preços do petróleo e a um real mais forte frente ao dólar, fatores que interferem na decisão da Petrobras.

Relatório altera proposta do governo para aposentadoria rural, de mulheres e professores

Parecer do deputado Samuel Moreira foi apresentado nesta quinta-feira em comissão especial da Câmara modifica alguns dos principais pontos da matéria. Texto ainda precisa ser votado no colegiado e no plenário da Casa antes de ir ao Senado.

Entenda as mudanças:

Idade mínima para o trabalhador urbano

O que diz a proposta do governo: a idade mínima para aposentadoria após o período de transição proposta pela PEC é de 62 anos para as mulheres e 65 para homens. O tempo mínimo de contribuição passa a ser de 20 anos para ambos os sexos.
O que diz o texto do relator: a idade mínima para aposentadoria do trabalhador urbano foi mantida, conforme proposto na PEC, em 62 anos para mulheres e 65 para homens. O tempo mínimo de contribuição, no entanto, sobe para 20 anos apenas para homens; para mulheres, fica em 15 anos.

Aposentadoria rural

O que diz a proposta do governo: idade mínima de 60 anos para a aposentadoria de homens e mulheres, com 20 anos de tempo de contribuição parta ambos os sexos.
O que diz o texto do relator: idade mínima deve permanecer em 55 anos para mulheres e 60 para homens trabalhadores rurais e para quem exerce atividade economia familiar, incluindo garimpeiro e pescador artesanal. O tempo mínimo de contribuição sobe de 15 anos para 20 anos apenas para homens; no caso das mulheres, são mantidos 15 anos.

Professores

O que diz a proposta do governo: idade mínima de 60 anos de idade para a aposentadoria de homens e mulheres.
O que diz o texto do relator: idade mínima de 57 anos para a aposentadoria das mulheres professoras e de 60 para homens, até que sejam definidos novos critérios por meio de lei complementar. A regra vale para professores da educação infantil, ensino fundamental e médio.

Abono salarial

O que diz a proposta do governo: o pagamento do abono salarial fica restrito aos trabalhadores com renda de até um salário mínimo.
O que diz o texto do relator: define que o pagamento do abono deverá ser feito aos trabalhadores de baixa renda (até R$ 1.364,43).

Salário-família e auxílio-reclusão

O que diz proposta do governo: beneficiários do salário-família e auxílio-reclusão devem ter renda de até um salário mínimo.
– O que diz o texto do relator: beneficiários do salário-família e do auxílio-reclusão são pessoas de baixa renda (até R$ 1.364,43).

Nos acompanhe nos Spotify
Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo